Set/Out - 2019 - nº 212

Você sabe a diferença entre faturamento e lucro?

Saber diferenciar esses dois termos é fundamental para ter sucesso no negócio.

Administrar um empreendimento requer muitas habilidades, entre elas saber lidar com as contas da empresa. Muitos empresários acabam se perdendo nessa parte. Sabemos que lidar bem com os números do negócio é condição fundamental para que uma empresa seja bem-sucedida. Portanto, vamos esclarecer a diferença entre faturamento e lucro!

FATURAMENTO

Uma empresa que está faturando muito, não necessariamente está lucrando alto. Você pode ter se assustado um pouco com essa afirmação, mas já vai compreender. Faturamento é tudo o que a empresa recebe com a venda de produtos e serviços. Trata-se da arrecadação total, sem tirar despesas fixas e variáveis.

Portanto, faturamento alto não é garantia de lucratividade. Uma empresa pode faturar muito em determinadas épocas do ano, como em datas comemorativas (Natal, Dia das crianças, Dia das mães etc.), mas também ter suas despesas aumentadas, o que no final pode não gerar o lucro desejado. Por isso, um bom planejamento financeiro é fundamental (também) para esses momentos, para que haja um equilíbrio nas contas e o alcance dos resultados esperados. Muitas empresas vendem muito, veem o dinheiro entrar e, ao final do mês ou de um determinado período, esse “lucro” desaparece. Cuidado para não cometer esse mesmo erro, ok?

LUCRO

O lucro de uma empresa é o montante que resta do faturamento, após retiradas todas as despesas do empreendimento, incluindo custos fixos como aluguéis e mão de obra, bem como variáveis, que é a matéria-prima.

Só para esclarecer um pouco mais, fazem parte dessas obrigações que precisam ser pagas periodicamente pelas empresas as despesas operacionais e tributárias destinadas à produção e à venda. Além delas, podemos destacar também contas de água, luz, telefonia, manutenções e todos os impostos diretos e indiretos.

Portanto, o que vai determinar se uma empresa está ganhando muito dinheiro é o seu lucro, ou seja, se está faturando um valor maior do que os custos que ela tem de arcar.

Para verificar isso, é necessário que o empreendimento apure de forma consciente todas as despesas fixas e variáveis de maneira que, ao final do período, tudo que faturou possa pagar seus compromissos. Caso isso aconteça, haverá sobra de capital, chamado também de lucro líquido.

Conhecer de perto as contas do negócio, sempre orientado por um bom planejamento financeiro, é a receita para não confundir mais esses dois termos e constituir um empreendimento sólido, bem-sucedido e que gere cada vez mais lucro.

Fonte: https://glo.bo/2PaC2DB


 

Sindilav Notícias 212


edições anteriores »