Nov/Dez - 2017 - nº 201

Boas expectativas para o crescimento da economia em 2018

Segundo o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, o país terá virada histórica no próximo ano.

Screen Shot 2018-01-03 at 11.45.27

A população brasileira pode aumentar suas esperanças com relação ao crescimento econômico do país em 2018, que deverá ser bem diferente dos últimos anos. Pelo menos é o que deixou claro o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, que inclusive afirmou que já existem dados sólidos que mostram a melhora da economia.

O governo trabalha com uma expectativa de crescimento de 0,5% em 2017. Contudo, essa alta deve ser de aproximadamente 2%, se compararmos os últimos trimestres de 2016 e 2017. Segundo o ministro da Fazenda, mais importante do que vencer a crise é a taxa de crescimento que devemos esperar para os próximos anos, e, nesse sentido, o governo está trabalhando para um desenvolvimento do país a taxas mais elevadas do que a tendência atual.

Para ilustrar esse otimismo com a expectativa de crescimento econômico do país, Henrique Meirelles mencionou alguns fatores que já indicam essa evolução, como os sinais de recuperação do emprego e os expressivos números do setor automobilístico. Segundo o ministro da Fazenda, em agosto, houve crescimento de 45% na produção de veículos (na comparação com o mesmo mês de 2016).

Outro indicador que diz respeito ao aumento da confiança na economia é a alta do consumo de bens duráveis, como os eletrodomésticos. Isso é muito positivo, pois mostra que os setores responsáveis pela produção desses equipamentos estão retomando os investimentos.

Outros grandes segmentos do país, como a construção civil, demoram um pouco mais para reagir, de acordo com o ministro. No entanto, nos próximos trimestres, o setor deve dar fortes sinais de recuperação.

Muitas pessoas podem estar se perguntando: “onde está essa melhora, que ainda não vemos em nosso dia a dia”? Segundo Meirelles, a melhora não é perceptível para a sociedade, logo que começa. Contudo, existem fortes evidências de que a economia está crescendo.

Para finalizar, o ministro da Fazenda avaliou que o Brasil deixou para trás a recessão mais grave de sua história e que a economia vem reagindo de forma sustentável. Porém, o avanço na agenda de reformas propostas pelo governo é fundamental para que os indicadores positivos da economia continuem surgindo.

Fonte: www.glo.bo/2j05OKb




 

Sindilav Notícias 201


edições anteriores »