Jan/Fev - 2018 - nº 202

Sindilav realiza auditoria referente à sua posição patrimonial e financeira em 2015 e 2016

Levantamento levou em consideração os balanços e relatórios de índices do período analisado.

Em novembro de 2017, o Sindilav recebeu o resultado da auditoria solicitada pela entidade, que diz respeito à sua posição patrimonial e financeira nos anos de 2015 e 2016. Foram apresentadas as análises do Balanço Sintético de 2015, Balanço Sintético de 2016, Comparativo Demonstrativo de Resultados (análises horizontal e vertical) e Índices de Orientação.

Com relação à análise horizontal, referente às receitas, o ano de 2016 apresentou um desempenho favorável de 6,22% em comparação ao ano de 2015, por conta das contribuições sindical e assistencial. Também impactaram positivamente as receitas não operacionais, que avançaram em 13,47% por conta das aplicações financeiras. De todo modo, com relação à receita total – no que diz respeito ao seu crescimento real –, pode-se afirmar que ficou anulada por conta do INPC acumulado de dezembro de 2016, que apontou para 6,58%.

Sobre as despesas, o documento apontou que, no ano de 2016, elas cresceram somente 2,62%, desempenho obtido por meio da redução significativa das despesas financeiras administrativas. Tomando-se a base do INPC, que variou 6,58%, o controle das despesas foi bem-sucedido.

Tendo havido uma melhora nas receitas e um bom controle das despesas, o resultado consequente é uma melhora percentual de +16,25%, resultando no valor de R$93.823,32.

A análise dos índices vertical mostrou que, com relação às receitas, a maior delas advém da contribuição assistencial. No exercício de 2016, ela recuou percentualmente em relação ao total das receitas. Contudo, com o aumento das receitas de aplicações financeiras, as receitas totais também aumentaram conforme análise acima. Com relação às despesas, o bom controle das administrativas e financeiras fez com que o resultado fosse excelente. Não houve aumento percentual referente às receitas totais e, ao contrário, houve uma redução em relação ao período de 2015.

Os índices de orientação mostraram, com relação à análise da liquidez, que o Sindilav tem uma situação extremamente confortável. Isso porque, conforme indica esse índice, para cada R$1,00 de dívida, temos R$138,02 de disponibilidades no ano de 2015. Já em 2016, o conforto é ainda maior, pois para cada R$1,00 de dívida, temos R$143,69 de disponibilidades.

O documento é finalizado com a informação de que as demonstrações contábeis analisadas representam adequadamente, em todos os aspectos relevantes, a posição patrimonial e financeira do Sindilav em 31 de dezembro de 2015 e de 2016, o resultado de suas operações, as mutações de seu patrimônio líquido e as origens e aplicações de seus recursos referentes aos exercícios findos naquelas datas, de acordo com as práticas contábeis adotadas no Brasil. Foi analisada, também, a documentação de caixa do período de janeiro a julho de 2017, e nenhuma anormalidade relevante foi constatada.




 

Sindilav Notícias 202


edições anteriores »